Novas Resoluções do CFC / Revisão de Pronunciamentos Técnicos

21/12/2010 às 19:46 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
maladiretaCRCSC-topo.jpg
Novas Resoluções do CFC / Revisão de Pronunciamentos Técnicos
cfc(6).jpg

Editadas Novas Resoluçõesdo CFC

Foram publicadas no Diário Oficial da União de 17 de dezembro de 2010 várias Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade – CFC, as quais destacamos:

I – Resolução CFC nº 1313, de 9 de dezembro de 2010, que aprova a NBC T 19.14 – Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários;

II – Resolução CFC nº 1314, de 9 de dezembro de 2010, que aprova a NBC T 19.15 – Pagamento Baseado em Ações;

III – Resolução CFC nº 1315, de 9 de dezembro de 2010, que aprova a NBC T 19.40 – Adoção Inicial das NBC Ts Convergidas em 2009;

IV – Resolução CFC nº 1316, de 9 de dezembro de 2010, que aprova a IT 16 – Extinção de Passivos Financeiros com Instrumentos Patrimoniais;

V – Resolução CFC nº 1317, de 9 de dezembro de 2010, que aprova o CT 05 – Aplicação da Interpretação Técnica IT 13 – Contrato de Construção do Setor Imobiliário.

Atualização em ICMS – Almir J. Gorges

21/12/2010 às 16:15 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Nota Fiscal Eletrônica!!

21/12/2010 às 16:15 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

8180.jpg

www.sesconfloripa.org.br

Ambiente estruturado

21/12/2010 às 11:12 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Com o aumento do poder de compra das classes C e D, o número de negócios também vem crescendo. Para não ficar de fora é preciso ter um bom planejamento estratégico e aproveitar as melhores oportunidades. Ainda há tempo para investir seja na criação ou na adequação do ambiente de lojas e aproveitar as vendas do Natal, a melhor data comemorativa do setor varejista.

Considerando que a loja já está localizada em um ponto de boa circulação para garantir que seja vista pelos clientes, o próximo passo é contratar um arquiteto experiente em varejo para planejar e executar os projetos para colocação de piso, iluminação, passando também pela definição de revestimentos, cores, texturas, acabamento.

Em seguida, vem uma etapa que pode determinar o sucesso do negócio: a arrumação da vitrine, o uso de técnicas de visual merchandising, a instalação de equipamentos e mobiliário funcionais, além do paisagismo. Todos esses elementos são usados para atrair o consumidor para o interior da loja.

Segundo Marcelo Miyazawa, diretor da Legas Group, 80% das decisões de compra são realizadas no ponto de venda, portanto, fica evidente a importância da boa apresentação do produto na vitrine. A variedade de produtos e marcas transforma o ambiente de loja numa “guerra” de atenções pelo interesse do consumidor. “O valor percebido por parte do consumidor é muito maior quando o contexto da apresentação do produto tem sinergia com o conceito da marca em questão”, completa Miyazawa.

Flexibilidade para mudar

Como a moda muda rapidamente, o lojista deve apresentar as novidades ao mesmo tempo em que o consumidor recebe os estímulos para consumo, que vêm de todos os lados: dos meios de comunicação de massa, e aí se incluem até as novelas e filmes que ditam algumas tendências da estação, do clima, se faz calor ou frio repentinamente, de datas comemorativas, entre outros.

A simples troca dos produtos expostos no interior da loja pode não ser suficiente para que o consumidor os identifique como novos. Quem está acostumado a passar por ali pode nem notar que algo mudou. “Planejar o espaço físico da loja com flexibilidade para mudar rapidamente a disposição de produtos é uma forma de ampliar o giro do estoque, conquistar maior performance em vendas e, ainda, ter seu negócio reconhecido pelo cliente como um espaço que oferece o que ele precisa”, explica Marcelo Miyazawa.

NF-e – NOTA FISCAL ELETRÔNICA

21/12/2010 às 11:05 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
ICMS/Nacional

NF-e – NOTA FISCAL ELETRÔNICA
Prorrogação do Prazo de Obrigatoriedade

Foram publicados no DOU desta segunda-feira, 13.12.2010, três Protocolos firmados junto ao CONFAZ que alteram as regras acerca da obrigatoriedade de utilização e emissão da NF-e – Nota Fiscal Eletrônica, modelo 55.

O Protocolo ICMS nº 194/2010 prorrogou para 01.03.2011 os prazos de obrigatoriedade para início da utilização da NF-e para os contribuintes que tenham sua atividade principal enquadrada em um dos seguintes códigos de CNAE relacionados a seguir – o prazo é prorrogado para 01.03.2011 para estes contribuintes, inclusive em relação às operações mencionadas na cláusula segunda do Protocolo ICMS nº 42/2009 (operações interestaduais, operações destinadas a órgãos públicos e operações de comércio exterior):

CNAE Atividade
6110-8/01 Serviços de telefonia fixa comutada – STFC
6110-8/02 Serviços de redes de transporte de telecomunicações – SRTT
6110-8/03 Serviços de comunicação multimídia – SCM
6110-8/99 Serviços de telecomunicações por fio não especificados anteriormente
6120-5/01 Telefonia móvel celular
6120-5/02 Serviço móvel especializado – SME
6120-5/99 Serviços de telecomunicações sem fio não especificados anteriormente
6130-2/00 Telecomunicações por satélite
6141-8/00 Operadoras de televisão por assinatura por cabo
6142-6/00 Operadoras de televisão por assinatura por microondas
6143-4/00 Operadoras de televisão por assinatura por satélite
6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações
6190-6/02 Provedores de voz sobre protocolo internet – VOIP
6190-6/99 Outras atividades de telecomunicações não especificadas anteriormente

Já o Protocolo ICMS nº 195/2010 prorrogou para 01.07.2011 os prazos de obrigatoriedade para início da utilização da NF-e para os contribuintes que tenham sua atividade principal enquadrada em um dos seguintes códigos de CNAE relacionados a seguir:

CNAE Atividade
5811-5/00 Edição de Livros
5812-3/00 Edição de Jornais
5813-1/00 Edição de Revistas
5821-2/00 Edição Integrada a Impressão de Livros
5822-1/00 Edição Integrada a Impressão de Jornais
5823-9/00 Edição Integrada a Impressão de Revistas

Finalmente, o Protocolo ICMS nº 196/2010 prorrogou para 01.04.2011 a obrigatoriedade de emissão da NF-e nas operações internas destinadas a órgãos públicos, também nas operações realizadas pelos contribuintes dos Estados do Ceará e de Goiás. Em contrapartida, esta regra deixa de valer para os contribuintes localizados no Estado do Maranhão. Nas operações interestaduais destinadas a órgãos públicos dos contribuintes localizados nos Estados acima, bem como no caso dos contribuintes localizados em Estados não citados acima, permanece a obrigatoriedade de emissão da NF-e nas operações destinadas a órgãos públicos a partir de 01.12.2010

Econet Editora Empresarial Ltda

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: