CERTIFICAÇÃO DIGITAL O SESCON FAZ

14/01/2011 às 19:25 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

.

8633.jpg

Principais benefícios da certificação
* emitir nota fiscal eletrônica
* assinar contratos digitais
* acompanhar processos legais
* consultar e regularizar a situação cadastral e fiscal
* emitir certidões
* fazer a REDARF
* verificar a autenticidade de informações divulgadas na versão on-line do diário oficial da união
* entregar IRPJ, DCTF, DIPJ e a PER/DCOMP
Preços especiais para associados
Certificado Digital e – CPF Associados Não Associados
e – CPF tipo A1 armazenado em seu computador (validade 1 ano) R$: 85,00 R$: 110,00
e – CPF tipo A3 somente certificado para voçê que já possui hardware. (validade 3 anos) R$: 127,50 R$: 165,00
e – CPF tipo A3 com cartão (validade 3 anos) R$: 170,00 R$: 215,00
e – CPF tipo A3 com cartão e leitora USB ( validade 3 anos ) R$: 297,50 R$: 365,00
e – CPF tipo A3 com token ( validade 3 anos ) R$: 297,50 R$: 365,00
Certificado Digital e – CNPJ Associados Não Associados
e – CNPJ tipo A1 armazenado em seu computador ( validade 1 ano ) R$: 165,00 R$: 165,00
e – CNPJ tipo A3 somente certificado para voçê que já possui hardware ( validade 3 anos ) R$: 200,00 R$: 245,00
e – CNPJ tipo A3 com cartão ( validade 3 anos ) R$: 245,00 R$: 295,00
e – CNPJ tipo A3 com cartão e leitora USB ( validade 3 anos ) R$: 340,00 R$: 445,00
e – CNPJ tipo A3 com token ( validade 3 anos ) R$: 340,00 R$: 445,00
Certificado Digital NF – e ( Nota Fiscal Eletrônica ) Associados Não Associados
NF – e tipo A1 armazenado em seu computador ( validade 1 ano ) R$: 224,00 R$: 250,00
NF – e tipo A3 com cartão ( validade 3 anos ) R$: 404,00 R$: 450,00
NF – e tipo A3 somente certificado para você que já possui hardware ( validade 3 anos ) R$: 400,00 R$: 400,00
NF – e tipo A3 com cartão e leitora USB ( validade 3 anos ) R$: 494,00 R$: 600,00
NF – e tipo A3 com token ( validade 3 anos ) R$: 600,00 R$: 600,00
Passo a Passo para obter o seu certificado Digital :
* Acesse o site http://www.sesconfloripa.org.br
* clique em CERTIFICAÇÃO DIGITAL O SESCON FAZ
* escolha o certificado de acordo com sua necessidade e -CPF, e – CNPJ ou NF – e
* escolha p produto desejado ( com ou sem hardware ) e clique novamente em comprar
* preencha os dados até finalizar a compra do pedido e na parte de faturamento escolha a forma de pagamento, cartão ou boleto ( com boleto o pagamento demora 48 horas para cair no sistema, caso agende antes das 48 horas passar comprovante por fax ou e-mail) agente1@sesconfloripa.org.br , agente2@sesconfloripa.org.br ou agente3@sesconfloripa.org.br
* Após a compra fazer agendamento, e on-line



bot_amigo.png
JOSUE DA SILVA MATTOS, você está recebendo este e-mail porque se cadastrou ou tem relacionamento com SESCON através do seu e-mail atendimento@ljcontabilidade.com.br. Para cancelar seu recebimento acesse aqui. Em caso de abuso, denuncie aqui. emailmanager

?4661.8.0.1.2.2015.9.333.0.10.0.0.111050.0.0.75647

Anúncios

Fecon-MG quer evitar a exclusão do Simples

14/01/2011 às 19:25 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Topo_E-mails_Marketing.jpg

Confira a notícia de primeira página publicada pelo jornal Diário do Comércio.

Fecon-MG quer evitar a exclusão do Simples

Fecon-MG firma convênio com o escritório Grossi Paiva Advogados para propor ações contra sistema.

Para prestar atendimento especializado às empresas que receberam notificações de exclusão do Simples Nacional, em virtude da existência de débitos tributários, a Federação dos Contabilistas do Estado de Minas Gerais (Fecon-MG) firmou um convênio com o escritório Grossi Paiva Advogados, especializado em direito empresarial e tributário. O acordo visa a proposição de ações no Judiciário para pleitear o parcelamento de dívidas fiscais e a manutenção do enquadramento dos devedores, com base em recentes decisões favoráveis obtidas na Justiça.

De acordo com o presidente da Fecon-MG e gestor de negócios do Grupo Krypton, Rogério Marques Noé, a parceria foi motivada pelo expressivo volume de empresas que buscaram aconselhamento junto aos escritórios afiliados à entidade. "Essas empresas ficam num cenário desesperador, ao tomarem conhecimento que serão excluídas, e nos questionam sobre o que devem fazer", afirmou.

Conforme Noé, a Fecon-MG está engajada na criação de uma alternativa que melhor atenda a essa demanda. "Com base em uma reportagem do DIÁRIO DO COMÉRCIO nós tivemos a satisfação de saber que uma empresa havia conseguido o parcelamento de seus débitos, em uma decisão inédita na Justiça", afirmou.

Segundo o presidente da Fecon-MG, a Receita Federal iniciou o processo de notificação do "desenquadramento". A estimativa é de que a situação deve abranger um universo de aproximadamente 35 mil empresas em todo o país. "Dentro de um prazo de 30 dias a empresa excluída terá que optar pelo novo regime", explicou.

Com a exclusão, a empresa sofre como conseqüências imediatas o aumento dos custos sobre a folha de pagamentos e da carga tributária sobre as suas atividades. "Na folha de pessoal há um aumento de 27,5% referente ao recolhimento do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) patronal, que não é cobrado da empresa optante do regime diferenciado", afirmou.

Quanto à carga tributária, conforme Noé, o aumento ocorrerá porque a empresa excluída terá que optar pelo recolhimento dos impostos sobre o lucro presumido ou real. "Há um impacto nos valores que servirão como base de cálculo para o recolhimento", explicou.

Distorção – Na avaliação do dirigente da Fecon-MG, a legislação que regulamenta o Simples Nacional provoca uma distorção ao não possibilitar o parcelamento de débitos. "É uma incoerência a empresa enquadrada em um regime diferenciado não poder parcelar sua dívida, enquanto todas que estão de fora podem", criticou.

A contradição também foi ressaltada pelo sócio-diretor da Grossi Paiva Advogados, José Maurício Paiva. Segundo ele, a intenção do legislador ao propor a Lei Complementar 123, de dezembro de 2006, que trata do Simples, era beneficiar as micro e pequenas empresas, favorecendo uma concorrência mais leal com as empresas de maior porte. "Porém, essa mesma lei suprime das empresas optantes o direito ao parcelamento, ao passo que a possibilidade é mantida para as demais empresas", argumentou.

Conforme Paiva, o convênio com a Fecon-MG visa a propositura de ações contestando as exclusões. "Vamos propor medidas judiciais cabíveis para que as empresas não sejam excluídas do regime diferenciado, possibilitando às mesmas o parcelamento dos débitos tributários, nos termos assegurados pelo Código Tributário", salientou.

Na avaliação do advogado do escritório Grossi Paiva, mantida a determinação legal, a exclusão das empresas notificadas provocará um efeito mais prejudicial para as empresas, do que benéfico para o governo. "É uma medida que não se justifica, já que existe o projeto do governo, no qual o parcelamento está expresso", afirmou.

Com base nessa possibilidade, a partir da aprovação de modificações na legislação pelo Congresso Nacional, Paiva questiona a pertinência da exclusão. "A Receita realiza toda essa operação, para em seguida o projeto ser aprovado, permitindo o parcelamento. Por isso, as empresas estão recorrendo ao Judiciário", ressaltou.

Segundo Paiva, já existem decisões favoráveis quanto ao parcelamento e manutenção de empresas dentro do regime diferenciado nas Justiça de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Fonte: Diário do Comércio

SESCON CONVÊNIOS: Prazo para novo relógio de ponto se encerra em fevereiro/2011

14/01/2011 às 18:22 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

News relogio ponto

Para encaminhar este e-mail para um amigo acesse aqui
Caso você não queira mais receber, acesse aqui e confirme o cancelamento.



?4661.2.0.1.2.2015.9.333.0.10.0.0.111048.0.0.8e5ed

CRCSC visita novo secretário da Fazenda

14/01/2011 às 11:33 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
CRCSC visita novo secretário da Fazenda
O presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRCSC), Sergio Faraco, fez nesta quinta-feira uma visita de boas-vindas ao novo secretário Estadual da Fazenda, Ubiratan Rezende. Acompanhado do vice-presidente Adilson Cordeiro e do diretor-executivo da entidade, João Carlos dos Santos, ele manifestou o desejo do CRCSC de fortalecer ainda mais a parceria já existente com o Fisco Estadual, que tem garantindo importantes avanços no que se refere à modernização e simplificação da relação entre Fazenda, contribuintes e profissionais da contabilidade.

Os dirigentes contábeis reafirmaram a disposição do CRCSC em manter os fóruns permanentes com a Secretaria da Fazenda, que este ano devem acontecer a cada dois meses. O secretário Ubiraban Rezende assegurou que, além de sua equipe, “sempre que possível”, estará presente a esses encontros. “Vocês, do CRCSC, são mais do que uma entidade. Vocês fazem parte do nosso processo de gestão”, garantiu.

O vice-presidente Adilson Cordeiro destacou que o CRCSC pretende promover – conforme compromisso firmado com o ex-secretário Cleverson Siewert, nos debates que envolveram o aprimoramento da legislação pertinente ao regime de Substituição Tributária – vários eventos voltados à educação fiscal. “Com o apoio da Secretaria queremos debater com os empresários o papel social do imposto, mostrando-lhes os riscos que as empresas correm ao não prestar corretamente as informações tributárias exigidas pela autoridade fiscal”, observou Cordeiro. Outro projeto do CRCSC, adiantou o vice-presidente, é realizar, em parceria com entidades empresariais, encontros sobre a responsabilidade civil de empresá ;rios e contadores, sob a ótica do Código Civil que começou a vigorar em 2003.

Novos nomes – No encontro, o presidente Sergio Faraco fez questão de parabenizar a Fazenda pela escolha de dois conselheiros da entidade para compor a estrutura de decisão da Secretaria. O conselheiro Adriano de Souza Pereira foi nomeado diretor de Contabilidade Geral, enquanto a conselheira Michele Patricia Roncalio foi escolhida como gerente de Estudos e Normatização dessa Diretoria. Para Faraco, os profissionais da Contabilidade estão, cada vez mais, assumindo um lugar de destaque nas organizações, a exemplo do contador da Fazenda Estadual e ex-conselheiro do CRCSC, André Luiz Bazzo, que foi nomeado diretor da Celesc.

IMG_4109%201.jpg

lida.php?fk_cliente=83&info=1072&email=adrmattos@brturbo.com.br

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: