Mercado promissor

12/04/2011 às 21:14 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Confira se a sua empresa está preparada para se tornar uma microfranquia, segmento que deve crecer 20% em 2011

por Da Redação

Trabalhar para si mesmo, ter seu próprio negócio, planejar seu próprio horário de trabalho, esses são apenas alguns dos muitos benefícios que assalariados brasileiros – com perfil empreendedor – estão prospectando para suas vidas profissionais. É com o intuito de atingir este público que muitos empresários estão formatando suas marcas para se tornarem microfranquias. Mas as empresas estão formatadas para entrar neste promissor mercado?

Dados da Associação Brasileira do Franchising (ABF) revelam que o Brasil possui aproximadamente 2.500 franqueados deste segmento, e que existem no país pouco mais de 50 marcas. A previsão de crescimento do setor para 2011 deve chegar a 20%.

Para Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems, consultoria em desenvolvimento de negócios e de franquias, “este mercado é promissor, já que os investimentos para o empreendedor entrar neste segmento chegam, no máximo, a R$ 50 mil. As microfranquias têm despertado o interesse, inclusive, da Classe C, que enxerga neste nicho uma alternativa válida – e próspera – para se tornarem empreendedores e ter seu próprio negócio”.

Com a tendência de forte crescimento das microfranquias, algumas empresas, que, até o momento ainda não pertencem ao segmento do franchising, estão formatando seus negócios, adaptando-se para atender a este novo empreendedor: que quer algo pequeno, mas com uma marca e know-how estruturados. Batista acredita que “para as empresas de pequeno e médio porte é uma grande oportunidade prepararem suas empresas para entrar neste mercado, e, assim, de expandirem suas marcas com rapidez e amplitude. E é bom aproveitar o momento, já que a demanda pela aquisição de uma microfranquia por enquanto terá poucas opções de investimentos, pois existem no Brasil pouco mais de 50 marcas atuando neste nicho de mercado”.

Cautela na hora de formatar seu negócio

As microfranquias, que foram criadas em 2007, na maioria das vezes, funcionam no modelo de home-based (baseadas em casa). Sem a necessidade de ter um ponto comercial – em alguns casos, o principal empecilho na hora de abrir uma empresa -, as microfranquias vêm conquistando muito espaço no setor do franchising, devido à rapidez de tornar em realidade o sonho de ser empreendedor.

Entretanto, para os empresários que desejam migrar seus negócios para este segmento, colocando suas empresas em evidência e transformando-as em microfranquias, orientação profissional e cautela são necessárias antes de qualquer mudança significativa. “Além disso, para entrar no mundo do franchising é essencial saber o que oferecer ao consumidor final e se o seu produto ou serviço possui um diferencial. Tornar este negócio possível nas mãos de terceiros é um desafio, tanto do franqueado, que terá que provar seu conhecimento empreendedor, quanto da empresa, que deve planejar sua entrada e sua formatação neste setor”, conclui Batista.

Boletim Especial Dia do Contabilista 1

12/04/2011 às 1:09 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Brasília – DF, 6 de abril de 2011
A partir desta semana, estaremos enviando boletins especiais sobre o Dia do Contabilista que será comemorado em todo o País, no próximo dia 25 de abril. Até lá, apresentaremos para os nossos leitores curiosidades sobre a profissão que já é considerada uma das mais bem sucedidas do mundo. Boa leitura!

A profissão contábil, devido ao desenvolvimento da economia e das atividades empresariais, tem ganhado destaque no cenário brasileiro. Hoje são quase 500 mil profissionais e 72 mil Organizações Contábeis em atividade no país. A evolução da profissão acontece em ritmo acelerado, aumentando sua credibilidade e tornando-se uma bússola para a navegação empresarial.

Você sabia?
A história da contabilidade é tão remota quanto a da civilização. No Período Antigo, já existia a contabilidade empírica, em que o Homem registrava seus patrimônios na memória. Quando ele deixa de ser nômade e resolve dedicar-se ao cultivo e pecuária, surge a necessidade de organização econômica em parceria ao senso de propriedade. Desse anseio por riqueza individual e preocupação quanto a rendimentos, os registros do comércio eram feitos em tábuas de argila, depois substituídos pelo papiro, um dos mais antigos antepassados do papel.

Com o Período Moderno a contabilidade era vital para o controle das inúmeras riquezas que o Novo Mundo

representava. Com a obra de Frei Luca Pacioli, em 1494, a contabilidade foi inserida nos ramos do conhecimento humano abrindo precedente para que novas obras fossem escritas. Para Francesco Villa, já no Período Científico, precursor do uso da Contabilidade como fonte de informação gerencial, a ciência contábil implicava em conhecer a natureza e as práticas que regem o patrimônio. Foi somente em 1923 que Vicenzo Mazi definiu o “patrimônio” como o objeto da Contabilidade. A partir de 1920, a criação de grandes empresas e multinacionais constituíam o Estados Unidos da América como campo fértil para o avanço das teorias e práticas da profissão. É por esse motivo que, atualmente, existem inúmeras obras de autoria norte-americana.

No Brasil, com a vinda da Família Real, a atividade colonial exigiu um melhor aparato fiscal. Mas foi somente em 1870 que aconteceu a regulamentação da profissão contábil, com o decreto imperial nº 4475, que restringia o exercício da profissão a pessoas que tivessem conhecimento das línguas francesa e portuguesa, além de boa caligrafia e datilografia. O grande passo, entretanto, acontece em 1927, quando é fundado o Conselho Perpétuo que viria a ser, no século atual, o Sistema CFC/CRCs.

Hoje, no entanto, muitas transformações ocorreram. Os registros da profissão contábil apontam que a média de idade dos atuais conselheiros dos Plenários e Conselhos diretores do Sistema CFC/CRCs diminuiu, o que significa que os

contabilistas estão se interessando pelas questões da classe cada vez mais cedo. Além disso, as mulheres estão conquistando espaço em um ambiente que sempre fora predominantemente masculino. Segundo levantamento realizado pelo CFC, elas estão presentes em 25 dos 27 CRCs, ocupam três Vice-presidências do CFC e já representam 39% das profissionais do País.

As novidades não param, no momento em que o país insere-se na tendência mundial à convergência às Normas Internacionais de Contabilidade (International Accounting Standard – IFRS, em inglês), é importante que o profissional contábil esteja atento às novas demandas de mercado. Consciente também da importância da imagem do profissional contábil frente à sociedade que pode ser alcançada por meio de transparência nos serviços e vontade de melhoria.

Nesse sentido o Sistema CFC/CRCs, além de registrar e fiscalizar o exercício profissional, busca por maior aproximação com o Congresso Nacional, onde se espera aprovação de projetos de interesse para a classe contábil e mantêm a preocupação com a formação dos futuros contabilistas, para que estes se transformem em importantes atores de proteção na sociedade.

Servidor: confira o CNPJ da fonte pagadora na declaração do IR

12/04/2011 às 0:10 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário
Uma mensagem enviada esta semana para a Ouvidoria da SEF levantou a dúvida sobre o número de CNPJ correto para informação da fonte pagadora na Declaração do Imposto de Renda. A mensagem trazia o seguinte relato:

"Gostaria de saber se o CNPJ atual da SEF é o 82.951.229/0001-76 ou o informado no site (82.951.310/0001-56) para fins de Declaração de Imposto de Renda, despesas médicas. Estou tendo problemas com a declaração de IRPF devido ao desencontro de informação a respeito de CNPJ desta Secretaria".

De acordo com Loreni Pissi, Gerente de Administração, Finanças e Contabilidade da Fazenda, deve ser utilizado do CNPJ 82.951.229/0001-76 (CNPJ do Estado de Santa Catarina), conforme está no Comprovante de Rendimentos. "Para as despesas médicas com o Plano SC Saúde deve ser informado o CNPJ 07.574.449/0001-02 – Fundo do Plano de Saúde dos Servidores Públicos Estaduais de Santa Catarina", explica. Estas informações também podem ser obtidas no site http://www.portaldoservidor.sc.gov.br .

Se você tem alguma dúvida sobre procedimentos da SEF, acesse a página "Fale Conosco" do site da Secretaria. Se sua dúvida não for esclarecida pelos canais disponíveis, envie um email paraouvidor

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: